Seguindo o blog

Postagem em destaque

PERFUME DE MULHER - Soneto

Tu que tens os aromas e as cores Da beleza que invade meu querer Adornada em paisagens de amores Adentrando o oasis do meu ser....

sábado, 16 de julho de 2011

ALMA DE POETA - POEMA


O poeta é igual ave que encanta,
Mas se esconde entre o verde da folhagem.
É forte e é frágil.
Ás vezes é silêncio que canta.
Mas que também grita
E nem sempre agrada,
E mesmo agradando, ele também espanta.
É um sóbrio delírio, instante breve,
Que reluta ao furor da ventania.
É o ombro amigo,
A voz que acalanta.
Traduz e interpreta os coraçõs errantes,
Na sombra da noite.
No claro do dia.
São tantos os desejos delirantes
Que se escondem por detrás face nua.
Por dentro de casa,
Andando na rua.
Mas quem se importa?
E quem quer saber?
Só a alma do poeta interpreta,
E acredita nas razões do própiro ser.

Já passou de meia noite e estou só.
Silêncio na rua.
Ouço um carro que passa e gente correndo.
De repente, um susto!
Um pássaro noturno dá um grito,
Rascante e horrendo!
Depois, mais um, e ainda um terceiro,
Agora distante.
Outra vez o silêncio!
Dessa vez, tão intenso, que dói os ouvidos.
É alta madrugada.
Das alturas ouço um avião pequeno,
Que logo se vai, plainando, sereno
Quem será que vai nele?
Alguém os espera,
Anciosos por sua chegada.
São pais e são filhos,
Parentes, amigos...
Mãs quem se importa?
E quem quer saber?
Pois somento o poeta se ocupa
De enxergar o que quase inguém vê.

Agora, o vazio.
Silêncio eminente.
Ouço tão somente um grilo que canta.
Quem dera sentisse a paz que aparento.
Fico remoendo pensamentos vãos.
E no coração, um leve desalento.
Sinto um vento frio.
É chuva chegando
As horas se passam
O sono não vem!
Agoniza lenta, a madrugada fria
E os minutos vão passando devagar.
Vejo a lua inválida,
Com a face pálida
Declinar de leve.
Num instante breve, pensei em alguém.
Momentos vividos,
Desejos sentidos e a saudade morna.
Mas quem se importa?
E quem quer saber?
Só a alma de poeta interpreta,
E acredita nas razões do própiro ser.

José Bento.

Um comentário:

  1. Olá!
    Com certeza você escreveu com a alma mesmo.Você falou de todas as coisas que fazem uma pessoa viajar nas asas da imaginação.
    A falta de algo para completar seu coração no poema.Quando chega a noite tudo chega na tua mente,então surge 'O José Poeta",que encanta a alma da gente.
    Você fala do poeta aqui,nesse poema eu falo da poesia:


    Poesia é assim...

    Sai de dentro do peito
    Vai além da alma
    Invade os pensamentos
    Arrepiando a pele
    Poesia é assim
    Perto ou longe
    Vai além de mim
    Percorre caminhos
    Sobe montanhas
    Invade corações
    Perde-se e se encontra
    Poesia é amor, imaginação
    Falta do que fazer
    Mas é uma coisa boa
    Acontece apenas
    Nada mais
    Porque poesia é assim
    Sai de dentro
    E fica livre através
    Daqueles que acreditam
    Que a poesia é assim...

    Maristela Guedes


    Cada dia que passa meu encantamento pela sua alma poética me encanta mais.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir