Seguindo o blog

Postagem em destaque

PERFUME DE MULHER - Soneto

Tu que tens os aromas e as cores Da beleza que invade meu querer Adornada em paisagens de amores Adentrando o oasis do meu ser....

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

AS VOZES DA POESIA

DIA 20 DE OUTUBRO, DIA DO POETA

A todos os amigos poetas e poetisas, que dedicam parte do seu tempo, parte de uma vida, ou até uma vida inteira, a interpretar nossas emoções e sentimentos. A todos vocês, conhecidos ou desconhecidos, famosos ou sem fama alguma, aclamados ou incógnitos, divulgados ou anônimos, deixo esta singela homenagem e toda minha admiração pelo belo trabalho que realizam. Vocês que sabem fazer sorrir, sabem emocionar, que sabem fazer chorar de emoção. A você poeta que encanta com palavras, a você poetisa, que encanta com tal sensibilidade, que deixa a poesia ainda mais especial. Ao poeta músico, ao poeta pintor, poeta escritor de fábulas e versos, e, principalmente e de uma forma muito especial, ao poeta interior que existe em cada um, que se rende aos encantos de suas poesias. Amigos poetas, meus sinceros parabéns pelo seu dia!



Convido a você amigo
Amiga, a você também
Para caminhar comigo
Para ouvir o que te digo
Conhecer um mundo além.
Um mundo de encantamentos,
Sensações e pensamentos,
Sentimento puro e terno,
Onde me vejo acenando
Àqueles que vão chegando
No mundo do amor fraterno.

Onde cantam os tenores,
Vozes de todos os tons,
Expressando nos seus dons
A mais perfeita harmonia.
A paz que se irradia
Em amor que nos conduz,
Penetram nos corações,
Transmitindo sensações
Da mais intensa beleza,
Transformando a tristeza
Num planetário de luz.

Bem-vindos sejam os áses
Das vozes da poesia,
Que dão voz ás melodias,
Que enriquecem paisagens,
Que fazem de uma miragem
Uma viva realidade,
Dando ás trevas claridade,
Transformam noites em dias,
Manipulando as cores,
Aliviando as dores,
Dando vida ás fantasias.

Bem-vindo seja você,
Meu grande amigo poeta
Que, por vezes, interpreta
O que em mim desconheço,
Desvendando os mistérios
Dos corações em conflito,
Como num imenso grito
De liberdade profunda
E essa paz que nos inunda
Vem do mais profundo ser,
Que nos impele a querer
Essa amizade fecunda.

Saúdo a dama das liras
De alma límpida e terna
Do amor que se externa
Através de um dom divino
Para ti entoo meu hino,
Ó divina poetisa.
O amor se eterniza
Através dos versos seus.
Quem dera pudesse eu
Alcançar por um momento
Frações dos teus pensamentos
E a beleza do teu ser,
Inundando o meu querer
Com o teu encantamento.

Me perdoe se, o que escrevo,
Parecer sem expressão,
Pois retiro versos tortos
Da minha torta visão,
Mas o que sinto é profundo
Fazem  parte do meu mundo
Saem do meu coração.

José Bento

Um comentário:

  1. Uma Alma sensível que busca outras errantes para enfim acolher no amor luminoso de nossa própria humanidade.
    Solange

    ResponderExcluir