Seguindo o blog

Postagem em destaque

PERFUME DE MULHER - Soneto

Tu que tens os aromas e as cores Da beleza que invade meu querer Adornada em paisagens de amores Adentrando o oasis do meu ser....

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O RENASCER















Quando vi passar o trem das ilusões
Decidi nele embarcar meus sonhos vãos,
Meu sofrer, meus desenganos, minhas dores,
Minhas falhas cometidas, meus temores,
Que alardeiam esse imenso turbilhão.

Os meus loucos devaneios já não quero
Nem tão pouco a insensatez dos sonhos vís
Vejo ao longe o nascer da nova aurora
E um novo sentimento em mim, que aflora
Me convida a refazer os meus perfís.

Vejo a bruma que incide no silêncio
A leveza do seu ar sobre os mares
Igualmente acontece nos olhares
Como é no sobe e desce das marés,
Pois contemplam o teu ser detidamente
Te elogiam as ações frequantemente
Mas te olham e não sabem quem tu és.

Frenesí de loucos, de paixões soberbas!
Pobres seres de tosca visão!
Quem dera pudesses ver com o coração
As proezas dos teus própios desvairios
Te dariam com certeza, calafrios
Pois verias que são grandes tuas perdas.

Não teríeis que catar na escuridão
As migalhas de um pão que desprezaste
Pois os fartos belos dias que passaste
Te serão tão somente uma lembrança
Por não teres dado ao menos esperança
A quem próximo a ti pediu alento
Colherás do teu mundo os incrementos
  De ardores e amarguras que plantaste.

Mas ainda existe tempo pra plantar
Semear a caridade e a compaixão
Transformar esse teu velho coração
Em um solo farto, fértil e irrigado
Pois o fruto que advir será de luz
E verás o caminho que conduz
Aos cenários de um mundo iluminado.

José Bento

Um comentário:

  1. Olá, Zé!
    Tudo bem?

    Prazer meu irmão, teu blog é uma maravilha, lindo designer e o conteúdo com os teus poemas dão um toque todo especial a nossa bela arte.
    Obrigado pela visita em meu blog.

    Uma abençoada semana pra ti e família.


    Abraços literários!!!

    ResponderExcluir